Revista de Imprensa

A vitória do Marítimo frente ao Paços de Ferreira, por 3-0, mereceu elogios na comunicação social desportiva portuguesa

Orlando Vieira, jornalista de A Bola, reconheceu, no título da sua crónica, “a lei do mais forte na hora da verdade”. “Triunfo expressivo e sem discussão por parte da equipa madeirense”, pode ler-se no mesmo artigo.

No Record, Gonçalo Vasconcelos destacou que “a ideia de jogo ganha eficácia, e que “os madeirenses souberam materializar ascendente sobre um Paços de Ferreira em queda livre”. Segundo o jornalista do diário da Cofina, “mais solto e objectivo, o Marítimo marcou pela primeira vez três golos esta época”.

Para Carolina Rodrigues, jornalista de O Jogo, a vitória do Marítimo foi “sem espinhas”.

Raul Caires salientou, no Mais Futebol, que “a insatisfação de José Gomes, que na antevisão ao jogo havia lamentado ainda não ter visto um jogo completo por parte do Marítimo, teve este domingo uma resposta clara dos seus jogadores, e à custa de um Paços de Ferreira que, apesar de se ter batido bem, acabou por revelar muitas insuficiências”.