“Não é uma fatalidade jogar o play off”

Almería e Espanyol protagonizam nesta segunda-feira, pelas 20 horas de Portugal continental, o jogo mais importante da 35ª jornada da La Liga SmartBank.

No Estádio Jogos do Mediterrâneo, a equipa de José Gomes, que ocupa a terceira posição na tabela classificativa, recebe o líder do campeonato e rival na luta intensa pela subida à principal prova de futebol nuestros hermanos e uma das melhores do mundo.

“É uma semana especial. Temos de ter coragem para aceitar a realidade. A subida direta é muito difícil e devemos ajustar as nossas expectativas ante aquilo que temos. Se não, estaríamos a vender motas. O que significa isto? Todos temos de estar preparados para aceitar que o terceiro posto é um lugar em que todos gostariam de estar, excepto Espanyol e Mallorca. Temos de nos prepararmos para estarmos fortes e com alegria se disputarmos o “play off”. Não é um fatalidade jogar o “play off”. Toda a gente fala muito bem sobre o futebol que estamos a praticar e pelo bom trabalho que temos feito realizado nesta temporada”, afirma José Gomes.

“Temos feito um grande trabalho”

“Gostaríamos de estar no primeiro lugar, subir directamente e fizemos, em muitas partidas, quase tudo perfeito para ganhar, mas por várias circunstâncias não somámos pontos. Estamos a trabalhar bem e temos feito um grande trabalho. Agora, estamos aqui, não temos de chorar e vamos continuar a trabalhar para a possibilidade do ‘play off’, para termos motivação e força”.

O líder da equipa técnica do clube andaluz pretende “sacudir” a pressão dos jogadores: “Vamos tirar a pressão dos nossos jogadores e ver aquilo de que somos capazes. Num projecto com tanta ambição, a pressão aumenta. Os jogadores sabem geri-la, mas temos de ajudá-los para que não fiquem obcecados e para que encontrem o seu melhor jogo”.

Sucesso no Reading

José Gomes recordou o sucesso vivido com o Reading, no Championship, a II Liga de Inglaterra, como inspiração para o Almería, mas, nos Royals, o objectivo era evitar a descida de divisão: “A minha pior situação foi com o Rio Ave, a lutar pela Liga Europa. Apareceu o Reading e contratou-me. Foi um desafio brutal, estávamos a um ponto da descida, ninguém tinha esperança. No final, juntámo-nos, fizemos um grupo forte e, antes do fim da temporada, os nossos adeptos organizaram o Dia de Portugal, em homenagem à equipa técnica por ter salvo a equipa antes do fim do campeonato. Foi um cenário muito duro e, com a união de todos, conseguimos o objectivo”.

Depois de partilhar aquela memória, José Gomes voltou a antever o jogo de segunda-feira: “Preparámos muito bem a partida de segunda-feira. Todos os jogadores estão muito comprometidos. O Espanyol é o primeiro porque merece e porque é o mais regular. Com meia oportunidade, faz golo. Se estivermos concentrados e fizermos as coisas bem, tudo pode acontecer”.

Clique aqui para ver a antevisão completa.